Sujeito oculto

em


No mapa da cidade
a fumaça se espalha,
se condensa em muros,
dissipa os olhos
-a náusea a náusea a náusea-

(Tantos buracos
feixes
fechaduras
encobrindo a não-passagem para o outro.
Tudo aqui.
Nada aqui.)

Mausoléus de 30 andares
ruas avenidas becos
sem saída
para ninguém
para nunca mais

Quanto mais alto
maior o trânsito
maior o asfalto
maior o concreto
abstraindo a visão.
Maior o tombo.

tantas distâncias separadas pelas portas os
portões e as janelas só castigam com as
grades
cortando a luz do dia
cortando
o cinza da vida
cor-
as solidões dos corações diastolados
-tando.

E as chaminés das fábricas apontam uma saída.

Haverá vida após as máscaras?

Anúncios

!Inquiete-se!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s