Carta aberta a um amigo Poático

em

normal_1151_estrada_do_amanhecer-707769.jpg

Fernando,

 Queria dizer que as passagens, abertas, ficaram mais claras, baratas e sem perigo – mas de avião não voa mais o meu pensamento.
As nuvens, por sua vez, abrem espaço nas bocas e nos cigarros, que continuam acesos, queimando neurônios e iluminando idéias.
E as noites? Sem garoas e cheias de frios silenciosos na madrugada, de uma ausência que se cala, logo ao raiar do dia… Você sabe: São Paulo desdenha o vazio.

E eu aqui, meu mui caro amigo, desenho ainda o futuro nosso, seja em Poa, seja dançando tango. Seja, ainda, escrevendo, mais e mais, os espaços-entre.

No vão das coisas, caminho bem. E o meu espaço, estou aprendendo a cultivar no cimento, no asfalto.
Grito alto, de saudade e possibilidades. Quem sabe um dia a gente se reveja. Quem sabe um dia o Brasil seja menos-continente-mais-país. Quem sabe um dia a carta seja finalmente entregue. Em mãos.

Muitos beijos, com sol de fim-de-tarde.

Anúncios

8 comentários Adicione o seu

  1. Embora eu não seja o Fernando, acabei me sentindo meio destinatário, meio como que dizer muito prazer não fosse o mais correto e sim um ói nóis aqui travez…talvez porque as cartas que eu receba não sejam escritas prá mim…

    Achei este espaço por um link (Vera Basile)…que bom!!

    Abraços!!

    Curtir

  2. marcelo disse:

    Coisa linda, Bia! Posso postá-la no meu blog? A delicadeza das palavras são quase chuviscos molhando a tela. Lindo demais.

    Abraço forte!

    Curtir

  3. Beatriz disse:

    Beatriz, a chuva de hoje em Poa não esconde a luz do dia, e ainda que escorra pelo cimento, alimenta afetos e sacia a sede da saudade, aliviando sua ardência.
    Aqui, ou aí, pouco importa, nossa música e palavra se entrelaçam assim como as folhas dos plátanos douram no outono. Somos estações e nelas e por elas nossas mãos também se entrelaçam.
    beijos, muitos.

    Curtir

  4. Que delícia, após a noite triste de ontem – que me motivou sinceramente a escrever esta carta aberta a este amigo tão querido -, acordar, vir trabalhar e receber, logo pela manhã, palavras de carinho de novos amigos que ainda nem conheço… Mas, quem sabe, seja apenas o início de uma longa e nova estrada.

    Sérgio,

    Talvez as cartas que vc receba sejam mais suas do que imaginas. Ainda que endereçadas a outros. Quem pode dizer? Os percursos possíveis da vida são tantos que nas curvas, muitos mistérios se escondem.
    Pega daqui tudo o que for produtivo a ti. O resto, pega também, e transforma. À vontade, querido.
    Beijo meu!

    Marcelo,

    Sempre bom lhe ver por aqui, querido!
    Melhor ainda é poder te visitar lá no Resumo da Chuva! Aliás, faz tempo que não saio do meu sítio para me molhar um pouco… Saudade! Te devo. Me devo. Apareço sim.
    E fique à vontade para publicar o que quiser de meu. De nosso.
    Vc já é de casa, não se esqueça.
    Trosbeijos!

    Beatriz,

    Nome lindo o seu!… rsrs… E que coincidência! São Paulo e Poa conversam muito, hoje e sempre. É o cinza, a cor do asfalto, às vezes da deselegância, mas a chuva molha mesmo os afetos e transforma as distâncias em arte. Afinal, cinzas também são as pontes-estradas, não é?
    Bem-vinda sempre.
    Beijos deveras!

    Curtir

  5. Vera Basile disse:

    Que lindo Bia!!!
    Queria ter toda essa sensibilidade, para escrever.
    Minhas cartas são “fechadas” e “duras”..rs

    A arte cura!

    beijo

    Curtir

  6. …pois é, “os percursos possíveis da vida são tantos que nas curvas, muitos mistérios se escondem…” – costumo dizer que a internet deixa sempre portas entreabertas pelas quais podemos espiar um pouquinho do que ainda nem é, como esses “percursos possíveis” e essas “curvas”…
    sua escrita é sensível e forte, afago e porrada, gosto disso…
    vi que vc. tem perfil no orkut, posso visitá-la por lá prá gente trocar letras e blues???
    Abração!!

    Curtir

  7. Jens disse:

    Oi Beatriz.
    Vim aqui por indicação do Marcelo. Gostei do que vi e li. Prazer em te conhecer. Parabéns.
    Um abraço.
    PS: também sou de POA.

    Curtir

  8. Uma bonita mensagem, Beatriz. Achei você lá no Resumo da Chuva, do Marcelo.
    Um beijo e até breve.

    Curtir

!Inquiete-se!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s