Vazada

em

Vi o objeto ao varal

Vermelho

Despudoradamente livro

Livre

De minhas mãos

– que tentavam, em vão, segura-lo –

Vazava

Do romance-poema

Espirais e quadrados

 

Vi o objeto-varal

Despudoradamente velho

Vermelho-livre

Livro de minhas mãos

Vãs

Vão vazava Avalovara-romance

Poema de quadrados espirais

 

Devorei-o

Despudoradamente vermelha

Velha veia vã

Desmedidamente vazada

Aglutinada

Espiralada

Enquadrada ao poema-romance-palavra

 

Canabalizei signos

Ressignifiquei vãos

Carnavaliza-ação

Fagia de Antropos

– sem Antas –

OsMaldianamente

 

 

 

(sebo USP e Campinas sem sol – 27/06)

 

Anúncios

!Inquiete-se!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s