30.04.09

É como ele disse: veste a máscara do sorriso e abraça a rua.

Notas de Amor – no. 5

esse amoré  como o poema que desperta a alma.Não acalma: destranca as trancas do peitoe, em versos,sem jeito,dá um jeitoao jeito novode amarde novo de novo de novo

da janela lateral:

eu vejo duas pernas ociosas fracas e tristes tremeluzentes em zigue-zague-direção-reta rumo à padaria duas quadras dali. o ônibus seu motorista seu cobrador suas câmeras de insegurança e cemsúmero de passageiros em pé e sentados dormiam sem esperança de chegar no não-importa-onde lugar. e nas ruas da metrópole, o absurdo: as duas pernas ociosas fracas…

Notas de Amor – no. 4

Este amor, grave: é necessário porque pesa Não-consumados, invisíveis, os amores intocados — de possibilidades infinitas — florescem sutilmente à despeito de sanas mentes

Con.cepção (2)

ovo sator                        opera tenet arepo                    rotas ovo rotas do nascimento: amor? o Tempo e o Tempo, duas faces. tempos. ver. afligir-se(r). tocar. ver e não dizer é como não ver. (silêncio) sinal.

Epígrafe – 1

Ando relendo livros, ressucitando a estante, revivendo prateleiras. E ainda me surpreendo com trechos assim: “Eu planejei minha morte cuidadosamente; ao contrário de minha vida, que meandrava de uma coisa para outra, apesar de minhas débeis tentativas de controlá-la. Minha vida tinha uma tendência a se espalhar, tornar-se flácida, enrolar-se, festonar como a moldura de…

Budapeste de Chico

“Artistas, políticos e escroques famosos batiam à minha porta, mas eu me dava ao luxo de atender somente personagens tão obscuros quanto eu mesmo. Clientes que me lembravam aqueles da sala três por quatro do centro da cidade, exceto por serem ricos o suficiente para pagar o cachê extorsivo que o Álvaro estipulava, além de…