Só, cidade

No aniversário deste meu amor desvairado em forma de cidades – sempre plurais -, verto em versos as vertigens de vértebras insanas. E deito este leito, já antigo, feito especialmente em ocasião do sarau “Cidade e Poesia”, na eterna Casa das Rosas (onde os botões são menos espinhos): “da Metrópole creque creque cheque sem fundo…

Retalhos de Retina – I

“Ele se lembra dos anos passados, como se olhasse por uma janela embaçada. O passado é uma coisa que ele vê, mas não toca.E tudo o que ele vê é borrado e indistinto.” (do filme “Amor à Flor da Pele”, de Wong Kar-Wai)