para gráphos

ela devia bagunçar letras, manchá-las de sangue enquanto cortava as unhas com as sílabas truncadas. recriar o caos de modo a permanecer na constante mutação das coisas. e inverter os verbos. {você lembra daquele lance dos abismos, dos quais ela sempre se joga? claro que lembra. era uma força maior. uma força de se reinventar….

corpo-fios

olhar pelo ângulo da faca. florescentemente flor e ser no perímetro-ventre a voz libidinal {entre}: _______ corredores cores & portas velar a matéria-futuro com um suspiro-incógnita do corpo que se conceda troncos e libélulas sombrear palavras a rasgar a luz sendo, verozmente, nos espaços-vacilantes: pulso-ventre-sibila-raiz liquidamente desfaz-se a nuvem contida na dureza –  de nascer…