parto tanto

o dia hoje tem vento e fumaça nos olhos penetrando na pele. portugal queima. e às vezes pode ferir. por aqui, dia de mudança, colocar os livros em ordem na estante fictícia arrumar gavetas – também fictícias – e papeis para o próximo passo >> buscar um <você> possível do outro lado da linha e…

Lançamento do meu livro: “Onde as Palavras não tocam” – \o/

 O nascimento de um filho a gente nunca esquece… Do primeiro livro, também não! Foram tantos os acontecimentos desta última semana que nem sabia muito bem por onde começar, mas inicio a “onda” de propagação das novidades por aquela que teve tantos meses de maturação dentro de mim: o nascimento do meu primeiro livro: “Onde…

teu texto sentido

pense no som no som da palavra percebe que o texto é nada, senão som em movimento atenta para o corpo em forma que se forma primeiro, com traços delgados, quase tímidos. sem cicatriz nem sobrenome, cresce até eriçar os músculos, ter contornos de uma história lambe as pupilas lânguidas inchadas de mar alto e…

“Aquela palavra” – 3/30: Enovescências

nem terrestre nem celeste: transbordava uma linha dourada nuns olhos espantados e sorriso d´água. Cabelos brancos, criança exacerbada. Brincava longe de casa porque era mais divertido, embora soubesse como voltar. Ainda não tinha nome, mas crepitava. Numa sala de banhos-velhos, onde outrora-mui-antigamente romanos buscavam águas medicinais, no momento de hoje-em-dia estalou partituras a princípio quase…

“Aquela palavra” – 2/30: Adelaide em ponto+cruz

Adelaide tinha um assombro. Existia num assombro. E transitava entre a concretude tangível e a ilinearidade de um porvir perpétuo. Mas não era algo que a trespassasse todos os dias. Não. Adelaide abria mais seus poros à experiência mística quando se propunha, com agulha, tesoura e linha, a bordar sobre as histórias alheias. Precisava, então,…

Um salto para Maud

Não estamos sós. Nunca estamos. Um sopro de vida que ora se apaga é o mesmo que reacende do outro lado da existência. O mesmo que (a)guarda mistérios, emaranhado de perguntas, entrelaçado de um sem-número de possibilidades. Não estamos sós, tia. Nunca estamos. E se o desapego nem sempre é fácil – porque o mergulho…

“Aquela palavra” – 1/30: Jazz em sins maior

#30ideias30dias: “Aquela palavra” – O desafio que me propus será falar das diversas formas do Amor sem citar esta palavra e em textos de, no máximo, 1000 caracteres. Jazz em sins maior Havia chegado em casa quase como por milagre. A roupa do dia anterior ainda no corpo, molhado, testemunhava a noite rouca, tão pouca…

Repensando o Amor, #PorTodasNós, antes de [re]começar

O projeto ReadyMade Interventivo – #PorTodasNós nasceu num período muito delicado da minha vida, tanto pessoal como profissional. Um período de mudança de país, readaptação à nova cultura, reorganização das estruturas de trabalho e de criação literária e uma necessidade de voltar a me expressar criativamente. Nasceu, também, num período de muita turbulência emocional. Atravessei…

ReadyMade Interventivo – #PorTodasNós #6

Descendentes de Erdogan “Uma mulher que nega ser mãe, que se recusa a cuidar da casa, é incompleta e deficiente”, disse ele, pai de 4.   O ready-made é uma manifestação radical da intenção de Marcel Duchamp de romper com a artesania da operação artística, uma vez que se trata de apropriar-se de algo que já está feito e elevá-lo à…

ReadyMade Interventivo – #PorTodasNós #5

Padre 50 anos do Benin acusado de abusar sexualmente e estuprar mulher septuagenária [padre | estupro | septuagenária] na França: crise de denúncias de pedofilia de acusações de abuso infantil de violência sexual de casos antigos [A igreja francesa atravessa uma crise Barbarin] “fato doloroso” para as fontes eclesiásticas O ready-made é uma manifestação radical da intenção…