para gráphos

ela devia bagunçar letras, manchá-las de sangue enquanto cortava as unhas com as sílabas truncadas. recriar o caos de modo a permanecer na constante mutação das coisas. e inverter os verbos. {você lembra daquele lance dos abismos, dos quais ela sempre se joga? claro que lembra. era uma força maior. uma força de se reinventar….

Rosa de Pedra {Fragmentos do Cotidiano}

Matei o cacto que ganhei de minha irmã. Uma perfeita Rosa de Pedra, de talos robustos alinhados num centro, aspirando, loucamente, por serem espiral. Aquele vaso miudinho me acompanhava por onde eu fosse: se ia escrever na mesa ao ar livre, ia comigo. Se carregava Bolaño para a varanda, a suculenta sentava-se ao meu lado….

[GRATIDÃO] Nasceu o Work In Progress… e meu <3 é só Amor!!

Este é um post de gratidão. Um post para agradecer de alma aberta a todXs que estiveram presente neste momento tão importante para mim! ^_^ [E não me refiro apenas aos que estiveram presente fisicamente…] O Work In Progress nasceu como projeto há alguns meses, em Guimarães, lá no Café do meu querido Centro Cultural…

Aquela Palavra – 4/30: para quando não estiveres aqui

pensar o eu como um corpo – um bâtiment em construção; um espaço, transatlântico, tempo – terra em travessia – um ato perpendicular de alguém que marcha em[tre] nós: navio. porque em cada traço – esculpido ou ao acaso existe uma lição; uma redação; um destino. nós como um corpo em transatlântica construção o impaciente…

parto tanto

o dia hoje tem vento e fumaça nos olhos penetrando na pele. portugal queima. e às vezes pode ferir. por aqui, dia de mudança, colocar os livros em ordem na estante fictícia arrumar gavetas – também fictícias – e papeis para o próximo passo >> buscar um <você> possível do outro lado da linha e…

Lançamento do meu livro: “Onde as Palavras não tocam” – \o/

 O nascimento de um filho a gente nunca esquece… Do primeiro livro, também não! Foram tantos os acontecimentos desta última semana que nem sabia muito bem por onde começar, mas inicio a “onda” de propagação das novidades por aquela que teve tantos meses de maturação dentro de mim: o nascimento do meu primeiro livro: “Onde…

teu texto sentido

pense no som no som da palavra percebe que o texto é nada, senão som em movimento atenta para o corpo em forma que se forma primeiro, com traços delgados, quase tímidos. sem cicatriz nem sobrenome, cresce até eriçar os músculos, ter contornos de uma história lambe as pupilas lânguidas inchadas de mar alto e…

“Aquela palavra” – 3/30: Enovescências

nem terrestre nem celeste: transbordava uma linha dourada nuns olhos espantados e sorriso d´água. Cabelos brancos, criança exacerbada. Brincava longe de casa porque era mais divertido, embora soubesse como voltar. Ainda não tinha nome, mas crepitava. Numa sala de banhos-velhos, onde outrora-mui-antigamente romanos buscavam águas medicinais, no momento de hoje-em-dia estalou partituras a princípio quase…

“Aquela palavra” – 2/30: Adelaide em ponto+cruz

Adelaide tinha um assombro. Existia num assombro. E transitava entre a concretude tangível e a ilinearidade de um porvir perpétuo. Mas não era algo que a trespassasse todos os dias. Não. Adelaide abria mais seus poros à experiência mística quando se propunha, com agulha, tesoura e linha, a bordar sobre as histórias alheias. Precisava, então,…

Um salto para Maud

                                                  Rodney Smith Não estamos sós. Nunca estamos. Um sopro de vida que ora se apaga é o mesmo que reacende do outro lado da existência. O mesmo que (a)guarda mistérios,…

“Aquela palavra” – 1/30: Jazz em sins maior

#30ideias30dias: “Aquela palavra” – O desafio que me propus será falar das diversas formas do Amor sem citar esta palavra e em textos de, no máximo, 1000 caracteres. Jazz em sins maior Havia chegado em casa quase como por milagre. A roupa do dia anterior ainda no corpo, molhado, testemunhava a noite rouca, tão pouca…

Repensando o Amor, #PorTodasNós, antes de [re]começar

O projeto ReadyMade Interventivo – #PorTodasNós nasceu num período muito delicado da minha vida, tanto pessoal como profissional. Um período de mudança de país, readaptação à nova cultura, reorganização das estruturas de trabalho e de criação literária e uma necessidade de voltar a me expressar criativamente. Nasceu, também, num período de muita turbulência emocional. Atravessei…